Associação Paulista de Fitopatologia

A Associação Paulista de Fitopatologia é uma sociedade científica, fundada em 1974, cuja Diretoria acumula o cargo de organizar o Congresso Paulista de Fitopatologia anual.

Em 1965, os fitopatologistas de São Paulo foram procurados pelo Professor C.C. Allison, na época, participante do convênio entre a Universidade de São Paulo e a Ohio State University, com a ideia de reunir todos os fitopatologistas paulistas para intercambiarem os seus conhecimentos cientificos. Até então, cada fitopatologista se restringia ao seu laboratorio, ignorando totalmente o que fazia o seu colega de outra Instituição

Todos concordaram imediatamente e que fundaríamos na mesma semana uma Sociedade de Fitopatologia e por aí em diante... Foi então que o Prof. C.C. Allison, com sua prudência caracterica, disse que era necessário muita calma, que primeiro os fitopatologistas de São Paulo deveriam se reunir informalmente, trocar idéias, estabelecer laços de amizade entre os seus membros, criar pontos de interesse comum, e superar eventuais divergências entre as diversas entidades. E, o mais importante, que o comando desse grupo informal deveria ser entregue aos jovens, para que os valores se renovassem, aproveitando o idealismo e o vigor da juventude.

Os seus conselhos foram seguidos. Durante o primeiro ano reuniões se sucederam no Instituto Agronômico de Campinas, no Instituto Biológico de São Paulo e na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz". Reuniões informais, bate-papo entre amigos, discussões científicas e intercâmbio de conhecimentos, sempre em ambiente intimo e cordial.
Nasceu o GRUPO PAULISTA DE FITOPATOLOGIA. Um ano depois, numa noite fria de garoa paulistana, na sala de reuniões do Instituto Biológico de São Paulo, foi fundada a SOCIEDADE BRASILEIRA DE FITOPATOLOGIA, num  extravazamento criativo do GPF. Da mesma forma, 10 anos depois, numa demonstração de pujança de fidelidade aos seus ideais, o GPF apresenta a sua revista Summa Phytopathologica (SP), que ora é entregue a todos os fitopatologistas, dentro do ideal de servir sempra à Fitopatologia Brasileira.
Desta forma, prestando honenagem ao Dr. C.C. Allison e aos fitopatologistas paulistas, o corpo editorial da SP agradece a todos os que colaboraram para que fosse possível vencer mais esta etapa do desenvolvimento da Fitopatologia Brasileira (Summa Phytapathologica, 1(1):2, 1975).

Aos dez dias do mês de novembro de 2004, foi realizada no Instituto Biológico de São Paulo uma Assembléia Geral Extraordinária do GPF para a mudança do estatuto visando atender ao novo Código Civil Brasileiro, onde o GPF passou para a denominação Assoociação Paulista de Fitopatologia (APF).

Assine nosso boletim